30/06/2019 Ivete Costa 0Comment

O autoconhecimento não é a mudança de uma frequência para outra. Ele permite deslizar de uma frequência para outra. É a evolução espiritual. O que está acontecendo nos últimos tempos é que este deslizar é cada vez mais consciente.

No fluir de frequência existem sentimentos que precisam ser deixados na frequência anterior que são úteis somente naquela frequência. Alguns têm mais resistência em soltar situações que estão sendo alimentadas por esses sentimentos. O autoconhecimento ajuda a compreender que o que não é mais necessário precisa ser solto. A dor surge quando a resistência é intensa.

O fluxo de evolução impulsiona a pessoa para a próxima frequência, e a resistência quer manter. Então, surge o apego. Até situações são criadas para manter-se na situação atual. Tudo que brotar e for denso e mantiver na frequência anterior = SOLTA.

É tudo dentro, não há nada fora detendo o fluxo da sua evolução.

Observe-se além dos fatos. Sinta você na sua ação. Você é o que está agindo, não o que está ocorrendo.

Estamos vivendo uma fase planetária de organização, novas energias estão se organizando, antigas estruturas e conceitos estão se desmontando, perdendo forças.

A melhor forma de se manter em equilíbrio é se ajustar ao novo, aceitar as mudanças que estão começando a serem instaladas, em todas as áreas: na política, educação, religião e dentro de você. Para os mais sensíveis, é possível perceber os dois momentos, o antes e o momento a partir de agora.

Em nenhum outro momento foi tão importante a união. União entre interesses e afinidades. União em objetivos. Encontrar algum motivo que possa unir, quanto mais unir, melhor. Evitar as situações e motivos banais que desagregam, separam, desunem.

Limpando as memórias dos sentimentos envolvidos nos acontecimentos desagradáveis, limpa o medo de realizar, de novas realizações.

Permita-se fluir. Cesse as dúvidas, as inquietações.

Valorize as suas emoções de amor. Expresse o afeto, a admiração, a gentileza.

Estamos mecanizados, excessivamente mentais. Mesmo diante de novos fatos, reagimos de velhas maneiras, conservando hábitos antigos e ultrapassados.

É preciso “desmecanizar”, reconhecer as emoções e sensações quase esquecemos. Ampliar a capacidade de sentir e expressar. Incluir, unir emoção e razão.

Abraço fraterno

Deixe seus comentários:

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *